quinta-feira, 31 de julho de 2008

que maravilha.

Tchê, como diz o Lobão: "Gilberto Gil, puta que o pariu! Ministério da Cultura jamais!"

Velho, sabe quando uma coisa não faz sentido? Poisé. O cara passou a vida toda escrevendo músicas com críticas contundentes à política brasileira. Participando de movimentos culturais, que tinham por ideologia mudar alguma coisa e bla bla bla. Agora, quando o cara recebeu a oportunidade de realmente fazer alguma coisa concreta pelo país, o que ele faz? Abandona o barco!
Ele alega que não tá conseguindo consiliar a sua carreira de músico, com a carreira de ministro.
Que maravilha hein seu Gil? Tu prefere ficar tocando grandes sucessos de mais de 20 anos de idade do que realmente trabalhar pra mudar essa merda.
Sinceramente, eu não conheço nenhum grande projeto do ministério da cultura, nenhum mesmo.
Assim como não conheço nenhuma música decente desses últimos 15 anos de carreira desse magrão. Músico é foda, os caras colocam o ego acima de qualquer outra coisa.
Vai ver pra ele é muito melhor receber aplausos, depois de cantar uma versão de uma música idiota do Bob Marley, em um belíssimo inglês com sotaque baiano, do que fazer um projeto pra organizar essa função da pirataria/indústria fonográfica brasileira.

4 comentários:

carol souza disse...

prmeira vez que concordamos em algo relacionado à "política".
esperando as trovoadas.

Sara disse...

ô coitado.
Só porque ele, Caetano e gêneros, só faziam coisas que preste na época que havia censura?
Ela devia fazer eles pensarem, e agora como ela não existe mais fodeu!
Os caras não servem pra praticamente mais nada.

Jan disse...

A pressão e a opressão geram heróis, os quais, sem ela, não passam de cidadãos normais, que, como a maioria dos brasileiros, são acomodados.

Elementar, Alberto.

Ainda mais em se tratando de um bahiano. ¬¬

^^

abraço

Jan disse...

e faltou um "s"...isso que dá ficar mudando a frase na última hora...